domingo, 7 de janeiro de 2018

Pessoa-Cruz


Entre o Fernando Pessoa e o Manel Cruz só há um bocado a mais de dramas com garotas. De resto, a ''dor de ser tudo'' e a ''dor de não saber onde dói'' doem igual de certeza e as cabeças estão para ali todas derramadas nas letras, em igual génio e ópio. E se o Eduardo Lourenço diz que ''no Pessoa está tudo'', no Manel Cruz* está tudo e mais uns desenhos.

*Se calhar por saudades de velhos amigos que recordo melhor assim, ando para aí há uns cinco dias bêbeda de Manel Cruz. Já percorri tudo (Ornatos, SuperNada, Pluto, Foge Foge Bandido, Ovo, etc) e agora surge esta entrevista de Tiago Palma (publicada a 7.1.2018) a esse ARTISTA TOTAL que, estou francamente convencida, também merecia um nobel da literatura.

Ode ao ''Manel e aos grupos dele''
por João Tamura

Sem comentários:

Enviar um comentário