quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

(entre a fábula e a reportagem)

NO FUNDO

No fundo azul
no espelho de uma delicada tristeza
que os meus olhos reflectem:
vês-me?
vês-me como eu sou?
vês-me como algo que se descobre
na acrobacia da imagem?

Na sensual tranquilidade da palavra
o poeta tenta uma arriscada ordem
e entre a fábula e a reportagem

simula mentir
para atingir
a superior verdade


Ana Hatherly



Laitakaupungin Valot (Luzes na Escuridão), Aki Kaurismaki, 2007

Sem comentários:

Enviar um comentário