"These images are meant to play not on our rational senses, but on the infinite universe of ambiguity within us." (Sidney Peterson)




(memória azul)

Publicada por Sabrina D. Marques à(s) 19:46


Memory Fade, Carl Brown, 2009

Fui apresentada a este filme pelo Jorge, como a tantos tantos outros. Enviou-mo uma vez pelo correio, num dvd gravado, como fazia tantas vezes, quando não trazia sugestões servidas de links. O Jorge era pouco mais velho do que eu mas ensinava-me como um velho mestre. Era lá no Alentejo, na vilazita de Lavre, que ele trabalhava como padeiro e amava o cinema como nunca ninguém amou. Falava-nos de sonhos, descrevia sensações e sentimentos, imaginava os filmes que faltam fazer, inspirava-nos e aproximava-nos de si e uns dos outros....
Jorge Amaro, nome de um dos mais belos contos da história do cinema português. Na pele de Fitz, gestor do Karagarga, praticou uma generosidade que saciou a fome de cinema real de milhares. Não foi a nenhum curso de cinema, nunca saiu do recato da sua sombra, no entanto, viu o que ninguém viu : não houve neste país maior entusiasta dos cinemas experimentais, underground, alternativos, ... Era coleccionista, era pescador, ele próprio um esfomeado crónico de arte, de poemas, de filosofia, de novo, de ideias. 

Hoje, falar de saudades é pouco. Todas as palavras são escassas.
Até que se esgotem todas as memórias de todas as pessoas que tocou, encontrar-nos-emos com o nosso querido Jorge numa maravilhosa história - a sua - que para sempre haverá de reacender de incredulidade os rostos de quem a ouvir.



Em memória do Jorge, partilho (fora KG) alguns títulos que lá postou : (upload mais antigo, o mais recente e um secreto)
Earliest: Jonas Mekas - Reminiscences of a journey to Lithuania (1972)
Latest: Péter Forgács - Hunky Blues (2009)
Secret: Andrew Noren - Free to Go (Interlude) (2003) 

2 comentários:

Don Medina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sabrina D. Marques disse...

Obrigada, não conhecia! Obrigada Don Medina!